Dói mais…

Sempre começo, não sei bem como…nem direito… Apago o que comecei…nem sei bem ao certo quando começo…quando apago…quando… Sentidos satisfeitos, pessoas e suas coisas boas e curiosas… extravagantes e tímidas…irreverentes e caladas…e ficaria aqui… Oscilam a toda hora todos os sentimentos, e isso é porque somos assim…humanos… a partir daí oscilam também os sentidos, a … Continue reading

As onomatopéias de Carolina…

Os vocábulos que lembram o som das coisas estão sempre ali…presentes. No começo, no fim, no meio da história… O fato é que em qualquer história …quando menos se espera surge um “pluf” do interruptor da luz, ou um “plaft” de algo que caiu no meio daquela história. Nunca soltos e sem propósitos. Tudo se … Continue reading

Poesia pro fim…

Te espero…ali, sentada Relembrando todos os pensamentos expostos… Os sentidos calados. Te espero…ali, na escada Diante de todas as cenas Montando meu próprio quebra-cabeças… Editando a história Te espero…ali, por nada Vendo o mundo passar… Escutando… Conversando comigo Te espero…ali, encantada Com poucas palavras… Te espero!